fbpx

Iniciativas inovadoras com o profº Edy do Colégio Cidadão do Amanhã

Sempre estamos de olho nas iniciativas inovadoras dos educadores que trabalham nas nossas escolas parceiras. Já conhecemos cada histórica inspiradora! A história de hoje reúne amor pela profissão e muita vontade de inovar. O nosso entrevistado é o professor Edy Cesar Patrocínio Pereira, de 25 anos, do Colégio Cidadão do Amanhã. Batemos um papo sobre inovação, robótica, habilidades do educador de hoje e como resultado temos uma entrevista bem descontraída e repleta de boas ideias para todos que gostariam de inovar em suas salas de aula. Confiram!

Com tantas inovações a cada dia, como você se mantem informado e preparado para atender as necessidades das novas gerações dentro da sala de aula?

Normalmente o professor cobra de seus alunos, principalmente os que pretendem fazer algum concurso vestibular, o hábito de se informar a partir dos veículos de comunicação. Porém é importante que o professor também esteja sempre atualizado.

Diariamente busco notícias do meio científico nos principais meios de comunicação (revistas e Internet) com o objetivo de transmitir e discutir o tema com os meus alunos.

Também tenho notificações configuradas em meu smartphone, para me atentar às novidades com mais facilidade e participo de vários cursos complementares com foco em inovação, robótica, e Matemática.

Identifica alguma barreira para inovar?

Acredito que por viver em um país emergente com condições importunas de impostos e outros encargos, a maior barreira para a inovação está em conseguir os equipamentos e materiais. Todo e qualquer material tecnológico no Brasil, normalmente, custa cerca de 40% acima do valor praticado no exterior.

Nessas horas prevalece a engenhosidade e a criatividade do educador. Cheguei a construir, com custo quase zero, uma pequena cuba eletrolítica para minhas aulas, usando fontes de notebook, grafites de lápis e a vidraria convencional do laboratório.

O que mudou na sua abordagem com seus alunos após a participação nos Embaixadores da Inovação?

A constante troca de informações com outros educadores, mesmo após o término do evento (temos canais de comunicação interno), mudou – e muito – a minha perspectiva em relação à educação e na forma de transferir o conhecimento para os meus alunos. Posso dar como exemplo o seguinte: eu fui educado em um modelo de especialização e padronização, como no Fordismo criado em 1913 por Henry Ford, onde cada um exercia sempre a mesma função. Meus professores sempre ficaram restritos apenas à sua disciplina e isso impedia uma visão mais ampla do conteúdo. O projeto Embaixadores da Inovação promoveu a interdisciplinaridade, que nos permite superar esse modo antigo, conseguindo relacionar conteúdos de Física, Matemática e Robótica com outras disciplinas.

Como é realizada a preparação para as aulas de Matemática e como são feitas as dinâmicas com o Pense Matemática? Sentiu alguma mudança no desempenho e motivação dos seus alunos após o uso da solução?

Primeiramente eu tento resolver as situações propostas pelo Pense Matemática, estudando os exercícios. Após a resolução, eu imagino uma abordagem simplificada para que os alunos consigam entender e desenvolver a atividade com sucesso.

Com o Pense Matemática foi possível notar uma melhora no empenho e desempenho dos alunos. A ideia da aplicação da Matemática complementada com jogos e práticas inovadoras desenvolveu mais motivação nos alunos. Os estudantes desenvolveram uma maior capacidade de inferência de resultados e resolução de problemas do que simplesmente com problemas convencionais feitos por escrito.

E o trabalho com a Robótica na instituição? Há planos para montar times ou este trabalho já está sendo implementado no Cidadão do Amanhã? Conte-nos, por favor, um pouco sobre a experiência de vocês com a robótica educacional.

O trabalho com robótica está indo de vento em popa no Colégio Cidadão do Amanhã. Os alunos demonstraram muito interesse com o projeto e na possibilidade de competir em eventos maiores. É muito importante para os alunos a união do conhecimento (teoria) + a competição (trabalho em grupo) + a aplicação (prática).

Logo na primeira aula, trabalhei com os alunos o conceito de medição e conversão de valores. Os alunos tinham que fazer o robô seguir um trajeto determinado, fazendo curvas e parando exatamente em um ponto específico. Os alunos fizeram a medição do trajeto, conferiram o ângulo da curva a ser feita e após todas as medidas, eles converteram e determinaram a distância em voltas que a roda deveria executar. Acredite, nunca vi os alunos executarem cálculos de multiplicação e divisão tão rápidos e precisos.

O projeto está indo tão bem que já temos até uma identidade visual pronta para o time de robótica, mas isso o pessoal pode ver nas competições!

Hoje, qual é a sua principal motivação em sua profissão, professor?

No início dessa jornada, tive um professor de química que me disse o seguinte: “Ensinar é a pior droga. Quando você menos notar estará viciado nisso”. E isso realmente aconteceu. Após anos de profissão, o que mais me impulsiona é o feedback que os alunos me dão. Em 2017 conseguimos 100% de aprovação nos vestibulares, com os alunos do nosso terceiro ano. Me orgulho em dizer que me esforcei muito e todo esse esforço me rendeu ser o professor responsável pelo Nome de Turma na formatura do 3º ano.

Ps: Em 2017 minha vontade foi renovada quando fui à primeira formatura de um ex-aluno que se formou em Medicina. Foi muito gratificante.

Em sua opinião, quais seriam as habilidades fundamentais que os professores inovadores devem desenvolver atualmente?

Visão crítica com o conteúdo e principalmente desenvolvimento de uma visão crítica em relação ao seu próprio trabalho. O pior problema de um professor é ser acomodado e estar satisfeito com sua atuação. A inovação não está só nos aparatos tecnológicos disponíveis, mas na capacidade de transformar algo visto por muitos como ‘’chato’’ em algo intrigante e interessante para os alunos.

Para finalizar o nosso bate papo, quais seriam as suas dicas para aquele educador que gostaria de adotar iniciativas inovadoras e melhorar as suas aulas?

Procure sempre ser atualizado e deixar suas aulas divertidas e produtivas. Não se acomode em sua formação inicial, procure novos cursos e projetos, e sempre troque experiências com outros profissionais inovadores, independente da sua área de atuação. Esta espécie de “crossing over” traz uma variedade legal às suas aulas, fazendo com que os alunos se interessem a cada dia pela sua aula, que será sempre algo novo e inusitado. E caso algum colega queira trocar experiências comigo, é só enviar um email para edy@colegiocidadaodoamanha.com.br.

Sobre Edy Cesar Patrocínio Pereira

Bacharel em Biomedicina como bolsista integral pelas Faculdades Pequeno Príncipe, instituição na qual estudou também as disciplinas do curso de Farmácia.

Licenciatura em Química em duas Instituições – Universidade Cruzeiro do Sul e Instituto Brasileiro de Formação.Mestrando em Estudos Biológicos Naturistas especializado em Acupuntura, com cursos de Aprofundamento e Aprimoramento nas áreas de Matemática e Física.

Super Cérebro (utilização do Soroban e jogos para desenvolvimento do pensamento Matemático e Cognitivo), Pense Matemática, Robótica com Certificação LEGO Education Academy, Matemática Financeira, Física para o Ensino Médio – Bases aplicáveis Matemática no dia-dia – Didática em Sala de Aula Calculo I Aplicação das Ciências Exatas.

Veja algumas ideias sugeridas pelo nosso vp para mobilizar recursos, gerar renda e posicionar sua escola como um pólo de inovação.

Para incentivar iniciativas inovadoras na sua escola, confira 5 tendências educacionais que os educadores precisam ficar atentos em 2018.