Veja como foi a final nacional da OBR!

por | 16 / nov / 17 | Robótica e STEM

Neste ano participamos como apoiadores da última etapa da OBR, com VC.Maker e BBC micro:bit. Acompanhamos a final nacional da Olimpíada Brasileira de Robótica, realizada de 7 a 10 de novembro em Curitiba (PR). Confira alguns depoimentos de quem passou por lá e entenda a importância da robótica para o desenvolvimento dos seus alunos!

O que é a OBR?

A OBR – Olimpíada Brasileira de Robótica – é uma das olimpíadas científicas brasileiras que usa a temática da robótica e tem como objetivo estimular os jovens às carreiras científico-tecnológicas, além de promover debates e atualizações no processo de ensino-aprendizagem brasileiro.

A competição destina-se a estudantes de escola pública ou privada do ensino fundamental, médio ou técnico em todo o território nacional, e é uma iniciativa pública, gratuita e sem fins lucrativos.

A OBR possui duas modalidades: Prática e Teórica, que procuram se adequar tanto ao público que nunca viu robótica quanto ao público de escolas que já têm contato com a robótica educacional. As atividades acontecem através de competições práticas (com robôs) e provas teóricas em todo o Brasil. Saiba mais sobre a olimpíada aqui

Confira depoimentos de quem estava na OBR

Durante a final da OBR, conversamos com João Victor Pinheiro da Cruz de 17 anos, estudante do 3º ano do Ensino Médio do CEF 08, de Brasília (DF). Ele garantiu o terceiro lugar em uma das classificações da etapa nacional.

João Victor nos contou que a robótica o ajudou muito na escola, principalmente no nível de seus trabalhos que acredita ter melhorado, e também na vida pessoal e profissional. “Com a robótica aprendi a trabalhar em equipe e ela me ajudou, inclusive, a conquistar oportunidades profissionais’’. Sobre a OBR, João comentou que “a energia é muito bacana e as pessoas das outras equipes torcem umas pelas outras, o que torna a competição algo extremamente positivo’’. O seu robô para a Olimpíada Brasileira de Brasileira 2017 era composto por um LEGO MINDSTORMS EV3, bandeja plástica, garrafas de plástico, fita adesiva e outros componentes.

 

Na foto, os estudantes João Victor Pinheiro da Cruz e Rodrigo Moraes Pereira. 

As meninas da equipe de robótica Back Bitter, da Escola Maple Bear de Porto Velho (RO), estão cheias de expectativas para a próxima edição da OBR.

A equipe é formada por Ligia, Isabela, Maria Clara e Camilli e esta foi a primeira vez que participaram da competição. Elas nos contaram que iniciaram o trabalho de robótica há pelo menos sete meses, e que por ser algo tão recente, ficaram muito felizes em passar para a fase regional.

Para elas participar da OBR 2017 foi uma ótima oportunidade de ver os robôs das outras equipes, conhecer novas pessoas e ver o que podem melhorar para a edição do ano que vem. 

Na foto, equipe de robótica Back Bitter. 

O Rafael Guerra SIlvestrin, aluno do 2º ano do Ensino Médio do Centro Educacional Adalberto Valle, de Manaus (AM), participou pela primeira vez da competição e já levou na mala o troféu de 3º colocado em uma das categorias da etapa nacional da OBR.

Segundo o coordenador do Clube de Robótica do CEAV e Embaixador da Inovação, professor Moisés Ricardo, até agora este foi o melhor resultado da escola nessa disputada competição!

Estudante Rafael Guerra SIlvestrin em destaque à frente ao lado de Regina Silva, diretora pedagógica da Positivo. Professor Moisés Ricardo no canto direito da imagem.

Lethycia Maia de Souza, de 16 anos, estudante do 2º ano do EM do Colégio Aplicação da UFPE, de Recife (PE), nos contou que se interessa por robótica desde o 6º ano do Ensino Fundamental e que por gostar tanto da área, pretende cursar Engenharia da Computação no vestibular. Neste ano, ao participar da OBR na parte teórica, começou a interessar cada vez pela área e hoje tem como um dos seus passatempos pesquisar temas relacionados e assistir a vídeos de robótica.

Para a estudante do 2º ano do EM, Lara di Cavalcante Pontos de João Pessoa (PB), a robótica é uma paixão antiga. “Desde pequena eu gosto de descobrir como as coisas funcionam. Com a robótica posso usar conhecimentos diferentes para um objetivo comum’’. Sobre a OBR ela destaca que é possível fazer novos amigos e que todo mundo se ajuda.

Na final nacional da OBR, batemos um papo também com dois professores do IFAM, de Manaus (AM), Hillermann Lima e Micila Pereira, participante da primeira edição do Embaixadores da Inovação. Eles nos contaram que a procura por robótica educacional na instituição durante esse ano foi grande: chegaram a receber a inscrição de 59 equipes, de 2 a 4 alunos, interessadas em participar da disciplina.

Devido à procura e também para medir o interesse e definir as equipes, eles criaram um processo seletivo e realizaram provas teóricas que resultaram na escolha de 8 equipes ao todo que revezam os kits de robótica educacional da instituição. Para o ano que vem o trabalho com robótica continua com grandes expectativas!

Para o Prof. Francisco Luiz dos Santos, Diretor Executivo de Tecnologia na Educação da Secretaria de Educação de Recife (PE), ‘’ a robótica não é uma ferramenta ou apenas um instrumento, é um verdadeiro elemento transformador da nossa sociedade’’. Para ele, ‘’a robótica é uma super disciplina que remete a uma área de confluência que interliga vários conhecimentos humanos e um excelente recurso didático em que os alunos aprendem habilidades fundamentais para o futuro’’. Francisco nos contou que Pernambuco está na 1ª posição do IDEB e acredita que as iniciativas com tecnologia na educação estão ajudando a alcançar este expressivo resultado.

Francisco comenta que em 2018, 30 escolas da rede nova de Recife (PE) vão receber Espaços Maker, que possibilitam a realização de projetos diversos relacionados à tecnologia, robótica e demais disciplinas. Saiba mais sobre esta tendência educacional aqui.

Na oportunidade falamos também com Alexsander Moreira, Coordenador-Geral do Ministério da Educação, da Secretaria de Educação Básica, que acredita que ‘’a robótica é um ótimo material de apoio para professores e alunos em sala de aula e algo que traz inovação para as escolas. Nós temos estudado em dar apoio técnico e financeiro para estados e municípios adquirirem kits de robótica’’, finaliza.

 

Veja o que rolou durante a fase final da OBR 2017 nesta galeria de imagens: 

por | 16 / nov / 17 | Robótica e STEM

Incentive seus alunos a participarem de competições de robótica assim como a OBR! Participe dos Embaixadores da Inovação e garanta certificações internacionais de inovação educacional e robótica para a sua escola! Inscreva-se aqui.