O que a Robótica pode ensinar às crianças?

por | 13 / abr / 18 | Robótica e STEM

Muito além do raciocínio lógico, da criatividade e do trabalho em equipe, o ensino da Robótica nas escolas pode ter reflexos em outras disciplinas e até mesmo na autoestima dos alunos.

Quando eu era moleque, 30 anos atrás, me diziam que no futuro estaríamos cercados por robôs que realizariam as mais variadas tarefas do dia-a-dia, nos deixando com mais tempo livre para o lazer e nossas famílias. Embora o mundo dos “Jetsons” ainda não seja realidade, há muito mais robôs envolvidos em nosso cotidiano do que podemos imaginar à primeira vista, de aspiradores de pó autônomos em nossas casas a carros que se dirigem sozinhos, sem falar nos robôs que montam esses carros nas fábricas. E graças ao aumento exponencial do poder de processamento de nossos computadores, capazes de executar algoritmos de inteligência artificial cada vez mais sofisticados, a robótica é um campo em franca expansão.

Só isso é um bom argumento a favor do ensino da robótica nas escolas, mas há muitos outros. Como atividade, ela combina de forma quase perfeita múltiplas disciplinas relacionadas a STEAM (Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática), estimula o trabalho em equipe, exercita a autoconfiança dos alunos e tem reflexos em outras áreas da vida escolar.

Para entender melhor os benefícios e reflexos do ensino da robótica nas escolas, conversamos com alguns de nossos Embaixadores da Inovação. Muitos deles são responsáveis por equipes que competem em torneios como a FLL (FIRST® LEGO® League) e estão envolvidos com o ensino da robótica há quase uma década. Veja o que eles têm a dizer!

A robótica traz benefícios além da Ciência e Tecnologia

Quando perguntamos aos Embaixadores da Inovação quais os três principais benefícios do ensino da robótica na escola, a resposta foi quase unânime: estímulo do raciocínio lógico, da criatividade e do trabalho em equipe.

É o que diz Andrea Camiña, da Robolae Robótica Educacional, Tecnolologia e Inovações. Segundo ela, a robótica vai “desenvolver a criatividade, ensinar a resolver problemas através de projetos e incentivar o trabalho em equipe e o compartilhamento de descobertas”.

O raciocínio lógico engloba o pensamento computacional, a capacidade de analisar um problema, determinar uma solução e descrevê-la como uma série de passos que podem ser seguidos por uma pessoa, um computador ou um robô. Esta habilidade, que pode ser aplicada a quase qualquer atividade no dia-a-dia, é essencial tanto na criação do robô em si (quais tarefas ele irá executar? quais peças podem ser usadas para isso? como serão conectadas?) quanto na criação do software que irá controlá-lo.

O espírito de equipe é reforçado pelo fato de que muitas turmas de robótica competem em eventos como a FLL (FIRST® LEGO® League), que promove conceitos como Gracious Professionalism, encorajando o espírito competitivo entre os participantes, mas sempre tratando outros membros da equipe e os concorrentes com respeito e gentileza.

abre embaixadores fll robótica

Competições de robótica como a FLL estimulam o trabalho em equipe.

E o impacto da robótica no ensino pode ser sentido além das disciplinas relacionadas a STEAM. Segundo Rosekel Schettino de Meirelles Maia, do Centro Educacional Casulo, “muitos alunos que não iam bem nas disciplinas “comuns” e passaram a se destacar na robótica tiveram um aumento significativo na autoestima e, consequentemente, melhoram seu desempenho nas outras disciplinas”. Oswaldo Fernandes da Silva Neto, da Escola Municipal Jorge de Resende Sobrinho em Manaus, no AM, concorda: “a maior mudança ocorreu na autoestima dos alunos. Eles são agora um exemplo para sua comunidade e sua família”.

Por isso, os Embaixadores da Inovação são unânimes em recomendar o ensino da robótica nas escolas. Segundo Allan Robert Telles de Brito, do Colégio COESI de Aracaju, em Sergipe, “a Robótica prepara os alunos para a vida, esse sim é o maior objetivo. Hoje no mercado de trabalho, há muita dificuldade de trabalhar em equipe, e aqui na robótica os alunos aprendem isso desde cedo e levam pra vida”.

Rosekel complementa: “O ensino da Robótica é um trabalho rico e muito completo que pode mudar a vida de muitos alunos. Além disso, traz para a escola, de forma viva, a ciência, a tecnologia, a engenharia e a matemática”. Andrea tem uma visão ainda mais a longo prazo: “O mundo está mudando muito rápido. Todos os dias acordamos com novas tecnologias que surpreendem as pessoas […]. Quanto antes nossos alunos estiverem em contato saudável com essas tecnologias, mais fácil será assimilar essas mudanças e contribuir para a evolução humana”.

O ensino da robótica na escola não é um “fim”, é apenas o começo de uma jornada que engloba STEM, a Cultura Maker e pode levar a um “boom” de inovação em sua instituição. Como diz Micila Medeiros, do Instituto Federal do Amazonas, “… a Robótica traz conceitos que podem ser aplicados em todas as áreas do ensino, e o ganho e impacto positivo são imensuráveis!”.

por | 13 / abr / 18 | Robótica e STEM

O programa Embaixadores da Inovação pode ajudá-lo a implantar o ensino da robótica e iniciar a transformação de sua escola. Seja um Embaixador você também, participe do Embaixadores da Inovação – Maker, de 14 a 15 de Maio de 2018 na sede da Microsoft em São Paulo.

Quero ser um Embaixador da Inovação!