5 tendências educacionais para 2018 às quais os educadores precisam ficar atentos

O rápido avanço da tecnologia está causando transformações em nossa sociedade, no mercado de trabalho e nos processos de ensino e aprendizagem, que agora devem focar em conteúdos e habilidades que culminam no conceito de “Educação 4.0”. Separamos aqui 5 tendências educacionais que chegam com mais força em 2018.

A tecnologia avança rapidamente, causando transformações em nossa sociedade e no mercado de trabalho. Isso exige também mudanças nos processos de ensino e aprendizagem, que devem focar em conteúdos e habilidades que culminam no conceito de Educação 4.0, preparando os estudantes para o sucesso em meio a uma nova revolução industrial que há é chamada de Indústria 4.0. Separamos aqui 5 tendências educacionais que chegam com mais força para 2018. Que tal começar já a se preparar para elas?

Muito se fala na importância da construção de habilidades como trabalho colaborativo, inteligência emocional, boa capacidade de comunicação verbal e escrita ou resolução de problemas, e elas são extremamente importantes e precisam ser abordadas na escola, mas elas se somam cada vez mais com as competências que a Industria 4.0 vai exigir.

Tendências educacionais em 2018:

1 – STEM

Você já deve ter ouvido esta sigla, que significa Science, Technology, Engineering and Math, ou Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática, em bom português. No contexto educacional, o termo STEM tem a função não só de identificar estas cinco áreas do conhecimento, mas também de interligá-las. Isso é feito incentivando a aprendizagem interdisciplinar com foco na aplicação prática do que é aprendido, algo que vai de encontro a um movimento cultural conhecido como Cultura Maker. O ensino e a aprendizagem STEM carrega consigo a busca pela compreensão e pelo real impacto dessas disciplinas no mundo. Quer saber mais? Baixe gratuitamente nosso eBook sobre STEM.

2 – Tecnologia e Inovação nas Atividades Complementares

Os próprios alunos demandam mudanças na metodologia de ensino. Segundo a edição 2017 do relatório Nossa Escola em (Re)Construção, do Instituto Porvir, 66% dos alunos entrevistados afirmam que olimpíadas de conhecimento, oficinas de criação de mídia e laboratórios “não podem faltar” na escola dos seus sonhos. Um programa de atividades complementares como o VC.Maker, com aulas práticas em áreas de interesse dos jovens como robótica, programação de jogos ou mesmo produção de conteúdo para o YouTube é uma forma de atender a esta demanda e mobilizar recursos ociosos como salas de aula e laboratórios, aumentando o faturamento de sua escola.

3 – Uso de “Cloud Computing” na infraestrutura de TI da escola

Manter o parque tecnológico de uma escola é um trabalho complexo, que pode ser facilitado com a adoção de soluções de Cloud Computing ou Computação na Nuvem. Neste modelo, dados e software ficam armazenados em servidores remotos na internet e podem acessados sob demanda a partir de qualquer lugar do mundo. Com isso tarefas como atualização de software, backup de arquivos ou implementação de políticas de segurança são simplificadas e centralizadas, e um único administrador pode controlar centenas de máquinas. Uma implementação deste conceito são os Chromebooks, computadores portáteis ágeis e baratos desenvolvidos em parceria com a Google, onde tanto os dados do usuário como os aplicativos e partes do sistema operacional são armazenados na internet.

4 – Programação (Coding) e Robótica

Nunca houve tanta demanda por estas atividades. A programação ensina muito mais do que uma forma de “dar ordens” a um computador. Ela também ensina uma nova forma de analisar e resolver problemas, expressando uma solução na forma de uma sequência de passos que um humano ou um computador possam executar efetivamente, uma habilidade valiosa conhecida como Pensamento Computacional. Já a robótica permite fazer a “ponte” do mundo digital para o mundo real, criando máquinas capazes de coletar dados e interagir com o mundo ao seu redor. Ao mesmo tempo, estimula o interesse por áreas como a Engenharia e Matemática (veja só, componentes do STEM!).

5 – Educação 4.0

As tendências educacionais anteriores são parte de um conceito maior chamado Educação 4.0, nome dado a uma proposta educacional que começa a responder às necessidades da Indústria 4.0, também conhecida como a quarta revolução industrial. Nela a linguagem computacional, a Internet das Coisas, a Inteligência Artificial, os robôs e muitas outras tecnologias se somam para dinamizar os processos nos mais diversos segmentos da indústria. Baseia-se no conceito de Learning by Doing, ou seja aprender fazendo, com ênfase nas habilidades digitais e no empreendedorismo na escola. Mostramos aqui mesmo no blog que a Educação 4.0 já é realidade.

Leve a inovação para sua escola! 

E que tal criar um espaço que engloba todas as tendências educacionais acima e ainda posiciona sua escola como um polo de inovação? É a proposta das Salas de Inovação, um espaço para promover conceitos de STEM, pensamento matemático e computacional e a Cultura Maker em um local projetado para estimular o aprendizado.

As Salas da Inovação combinam programas como o Pense Matemática, que estimula o senso numérico, resolução de problemas e investigação matemática, kits de robótica educacional LEGO® Education WeDo® 2.0 e LEGO® Mindstorms® Education EV3, os computadores portáteis Positivo Chromebook e o Quantum V, smartphone com projetor Laser HD integrado, que irá tornar suas apresentações muito mais dinâmicas.

 

tendencias educacionais sala inovacao

Exemplo de layout de uma sala da inovação. Cores e adesivagem visam criar um ambiente acolhedor e inspirador para os alunos

 

Tudo isso acompanhado por uma proposta de adesivagem e ambientação da sala, para que ela possa se tornar um ambiente inspirador para os alunos e um ponto de destaque na estrutura de sua escola. Que tal dar o primeiro passo?

Fale com nossa equipe e comece a planejar já sua Sala da Inovação. Colocar sua instituição na vanguarda da educação nunca foi tão fácil.

Quero inovar já!